fbpx

8 dicas para garantir a saúde dos colaboradores durante a COVID-19

O novo coronavírus, chamado de SARS-COV-2,é o responsável pelo surgimento de uma nova doença infecciosa que causou um surto inicial na China, no fim de 2019: a COVID-19.  Em março de 2020, com a proliferação da doença para todos os continentes, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a COVID-19 oficialmente uma pandemia. Os sintomas mais comuns da doença são febre, tosse e cansaço. A infecção atinge principalmente o sistema respiratório, e pode levar os pacientes à morte.

O surto da nova doença está causando preocupação generalizada e dificuldades econômicas para consumidores, empresas e comunidades em todo o mundo. No momento, ainda não existem vacinas ou tratamentos específicos para a COVID-19, e os efeitos dessa pandemia estão sendo sentidos mundialmente ao longo de 2020. Os impactos sociais e econômicos são grandes, e ainda não temos a sua real extensão.

O impacto da COVID-19 na indústria

O avanço do coronavírus se transformou rapidamente em uma crise global, que evoluiu em uma velocidade e escala sem precedentes. Nenhuma indústria ficou imune aos efeitos causados pela pandemia. As empresas enfrentam um impacto imediato da COVID-19: muitas operações de produção e cadeia de suprimentos foram interrompidas (já que a crise também afetou a rede de fornecedores).

Não bastasse o grande desafio de reduzir os números alarmantes de acidentes de trabalho, surgiram também os desafios específicos da pandemia:  a ausência dos trabalhadores (afastados por motivo de saúde), o acesso e colaboração restritos ao local de trabalho, as limitações de viagens e novas formas de trabalhar (home office, reuniões online).

Entre as muitas preocupações das empresas nesse cenário estão:

  •  Houve uma queda acentuada da demanda em algumas áreas (e isso causou um efeito cascata e gerou uma crise econômica sem precedentes). 
  • O desemprego crescente, que vem acompanhado da queda da renda geral do trabalhador e a redução dos níveis de confiança de investidores. O cenário econômico passou a precisar de ações afirmativas concretas, amplas e eficazes tomadas pelos governos em todas as esferas. 
  • A retração da demanda (como consequência direta). 
  • As expectativas sobre como será recuperação econômica pós-pandemia. Ela vai depender de fatores como:  as demandas internas e externas, a efetividade das reformas estruturais propostas pelo governo federal e o cenário político (nacional e internacional).

Resposta à crise causada pela pandemia

As empresas de equipamentos industriais, enquanto se preocupam com a manutenção das operações principais de seus clientes, também devem começar a antecipar a recuperação dos negócios.

Existem várias capacidades críticas de negócios que os fabricantes terão que ajustar:

  1. Uma força de trabalho mais elástica e um local de trabalho digitalmente habilitado
  2. Cadeias de suprimentos diferenciadas e resilientes por segmento de clientes
  3. Infraestrutura e sistemas de TI resilientes e distribuídos 
  4. Canais digitais e plataformas de comércio eletrônico.

As empresas de equipamentos industriais precisarão escalar sua alavancagem digital em toda a empresa e em seu ecossistema para desenvolver os serviços digitais.

Duas coisas devem ser lembradas ao planejar uma resposta:

  • Garantir a segurança contínua de seus funcionários.
  • Mitigar o risco de qualquer interrupção futura nos negócios de vocês e de seus clientes.

Para isso, a área de Segurança do Trabalho deverá estar habilitada para comandar as medidas que devem ser tomadas por toda a empresa. É sua função garantir não só a segurança dos colaboradores, mas também a saúde deles.

Dicas para manter a saúde dos colaboradores:

8 dicas para garantir a saúde dos colaboradores durante a COVID-19

1. Mantenha o local de trabalho limpo

Todos os locais de trabalho tem que estar limpos e ser higienizados constantemente. Superfícies de contato e objetos de uso comum ou pessoal precisam ser desinfetados regularmente durante o dia. Todos que acessam o chão de fábrica precisam lavar frequente as mãos e ter acesso à água e sabão.  Deixar álcool gel 70% disponível em locais comuns no chão de fábrica. Deve ser criado um protocolo de isolamento de áreas ocupadas por um funcionário que teste positivo para o COVID-19.

2. Crie protocolos para higienização de EPIs

Crie procedimentos claros para higienização e desinfecção e/ou descarte dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). Garanta a higienização com álcool 70% das superfícies dos EPIs. Óculos, máscaras, capacetes e ferramentas de uso frequente devem estar esterilizados. O novo coronavírus pode se manter ativo em superfícies não higienizadas por muitas horas. Oriente os colaboradores a não compartilhar os objetos entre si.

3. Adote o trabalho remoto

Todos os colabores que trabalham com funções realizadas em computadores podem realizar suas atividades em casa no sistema home office. Isso reduz a exposição dos colaboradores, diminui o risco de aglomeração e ajuda a conter a disseminação da doença. As indústrias devem liberar o uso de equipamentos fora da empresa e garantir que os funcionários consigam acessar os sistemas. Faça as reuniões de trabalho virtualmente. Ferramentas como Zoom, WhatsApp, Skype entre outras podem ser utilizadas para videoconferências. 

Aproveite também este período que os colaboradores estão usando mais a internet também para incentivá-los a aprender mais sobre temas ligados a indústria. A Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) organizaram uma série de lives e seminários online. Confira a programação de lives da indústria durante a pandemia.

4. Mantenha o distanciamento social 

As empresas devem criar e adotar protocolos para acesso dos colaboradores, visando o controle, identificação e isolamento de casos suspeitos e respeitando o distanciamento social mínimo recomendado. As medidas básicas de segurança devem contar com medição de temperatura indireta de cada colaborador já na entrada (termômetro infravermelho), rápida entrevista ou questionário sobre as condições de saúde e possível exposição ao vírus, uso obrigatório da máscara para acesso à empresa, bem como utilização durante todo o período de trabalho, redução de jornada e rodízio de equipes. A empresa pode obrigar o uso de máscara, mas deverá também fornecê-la como EPI, seja descartável (o mais indicado) ou reutilizável, em quantidade e frequência suficientes para garantir sua correta utilização e higienização.

Outra medida que deve ser adotada, sempre que possível, é o rearranjo do layout dos locais de trabalho, de modo a garantir a distância mínima em toda a jornada diária de trabalho. Reduzir o número máximo de pessoas por recinto e garantir também o distanciamento social ou isolamento individual nas áreas comuns. É interessante manter um distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas.

5. Verifique o estado de saúde dos funcionários

É preciso avaliar periodicamente se os colaboradores apresentam algum sintoma antes de iniciar o dia de trabalho. Medidas simples como aplicar questionários e fazer a medição de temperatura podem ajudar a proteger a saúde dos outros funcionários e evita um surto da doença dentro da empresa. Quem apresentar sintomas deve ser mandado imediatamente para casa em quarentena.

6. Cuide do seu refeitório

Aumentar o período de funcionamento e disponibilidade das refeições é uma medida que ajuda a evitar a aglomeração, uma vez que o refeitório (caso exista) deverá ter sua capacidade reduzida. O local deve ser preparado de modo a garantir o distanciamento mínimo durante as refeições, evitando que colaboradores sentem lado a lado ou de frente um para o outro. Kits de higienização dos locais devem ser fornecidos em cada lugar ocupado. Os buffets do tipo self-service devem ser evitados, e as refeições devem ser servidas em pratos prontos ou montadas por pessoal da equipe da cozinha, devidamente paramentadas e os alimentos devem estar protegidos de contaminação pelos funcionários.

Orientação sobre retirar a máscara somente ao se sentar, bem como incentivar a higienização por álcool em gel já dentro do refeitório.

7. Divida os turnos e limite a entrada de pessoas 

Sempre que for possível, divida os turnos dos funcionários de uma forma que seja evite o contato de pessoas de áreas distantes as aglomerações. Essa divisão também facilita a desinfecção dos ambientes e superfícies. Procure reduzir a circulação interna de funcionários. Limitar o fluxo de pessoas é essencial para conter a pandemia. Tente limitar a entrada de pessoal externo (consultores, prestadores de serviço e fornecedores).

8. Mantenha a comunicação com seus colaboradores

Mantenha uma comunicação, simples e direta com os funcionários. Devem ser abordados temas como: identificação dos sintomas da COVID-19, o uso (obrigatório) de máscaras, higienização apropriada das mãos, distanciamento social, e os protocolos adotados pela empresa e que devem ser seguidos por todos os colaboradores.

A comunicação visual também deve ser aplicada, com cartazes e pôsteres com informações gerais sobre a doença, seus sintomas e o que fazer em caso de contágio. Instruções em folhetos sobre o uso, higienização e correto descarte das máscaras e demais EPI’s, bem como sobre os cuidados que devem ser tomados fora do ambiente de trabalho (transporte, residência) são recomendados também. Todos no chão de fábrica devem estar cientes dos esforços da companhia em garantir a saúde de seus colaboradores, e que ela conta com a responsabilidade de cada um para a continuidade do negócio.

A retomada das atividades 

O caminho agora é permitir uma retomada gradual e segura, seja através da flexibilização das equipes de trabalho (rodízios, reduções de turnos, etc.), ou através de medidas públicas (alteração dos horários de funcionamento para evitar aglomerações no transporte público, medidas de garantia do emprego – suspensão e redução de jornada, linhas de crédito para cadeias produtivas, etc.). Estas medidas ajudam a garantir a sustentabilidade do sistema público de saúde e fazer a manutenção da economia através garantia do emprego e da renda. Algumas empresas já mostram sinais de recuperação neste período e outras até já estão com vagas abertas. A Vale abriu mais de 90 vagas de emprego em Itabira.

Para obter mais informações sobre o novo Coronavírus e as ações de prevenção propostas, você pode acessar o guia Sesi de Prevenção contra o Covid-19. Nele você encontra informações para se identificar casos suspeitos, formas de transmissão e grupos de maior risco para a Covid-19, além um passo a passo para ajudar empresas a criarem planos de contingenciamento da doença e a envolverem fornecedores e operadoras no combate à pandemia.

8 dicas para garantir a saúde dos colaboradores durante a COVID-19
jw engenharia botao contato pelo whatsapp

Sugestão de Conteúdo:

Fale conosco no Whatsapp